Home
A imagem mostra um plantio de milho com má distribuição de sementes

Como a distribuição de sementes ocorre num talhão para determinada cultivar e alguns impactos agronômicos da alteração de alguns parâmetros.

O processo de plantio é a etapa crucial para a definição do potencial produtivo. Após o momento em que a semente é depositada no solo, dificilmente o potencial produtivo é aumentado. Os produtores lutam diariamente para manter o potencial produtivo da sua cultura, buscando soluções para minimizar ou eliminar os fatores que afetam a produtividade de forma negativa.

Nesse momento tão importante, deve ser dada atenção especial a alguns parâmetros que traduzem o quão bom o plantio está sendo realizado. Neste texto, vamos falar de três deles: população, singulação e espaçamento, trazendo um olhar agronômico do que pode acontecer na má performance de cada um deles.

A população a ser utilizada para determinada cultivar é uma informação obtida através de anos de pesquisas realizadas pelos seus obtentores. Essa informação é construída por diversos anos e em diversos locais e resume o quanto cada indivíduo de determinada cultivar consegue explorar ao máximo os três principais fatores de produção: luz solar, água e nutrientes.

Após a definição da população ótima a ser utilizada, o plantio deve distribuir a quantidade correta de sementes da forma mais equidistante possível no sulco de plantio. Quando isso não ocorre, erros de população, singulação e espaçamentos podem acontecer.

Gráfico conceitual de perdas de produtividade em relação à populações distintas, de soja e milho, ao redor da população ótima recomendada.

Há extrema necessidade de acertar o número de população ótima para conseguir obter o maior potencial produtivo possível. Populações acima da ótima, além de representaram um custo desnecessário com sementes, podem apresentar uma redução de potencial produtivo pela competição por água, luz e nutrientes pelas plantas. No caso de uma população abaixo da recomendada, o potencial produtivo pode ficar penalizado por falta de compensação das plantas, deixando de aproveitar os recursos disponíveis.

Mas não devemos apenas nos contentar em acertar a população de plantas em um hectare. O produtor precisa acertar o correto número de plantas em cada metro plantado de um hectare. Uma planta numa região de superpopulação não se importa com a média de plantas por hectare porque ela sente a densidade de plantas em um raio de 20 cm e responde negativamente a essa pressão populacional local.

No caso de deslocamento de uma semente ocorre um erro de espaçamento, ou seja, ela está deslocada da sua posição original. Os erros de espaçamento fazem com que ocorra regiões de maior competição entre plantas e regiões de menor competição. Em alguns casos, o excesso de competição pode reduzir o potencial produtivo das plantas ali presentes, enquanto que nas regiões de menor competição, a cultivar utilizada pode não compensar a produção, em função da maior oferta de luz, água e nutrientes.

A ausência de manutenção de acionamento das plantadeiras causa vibrações que podem afetar a distribuição de sementes por mau espaçamento. Uma plantadeira a 9 km/h percorre 25 cm a cada décimo de segundo. Isso significa que se a semente sofre algum atraso durante a transferência do dosador para o tubo condutor nesse décimo de segundo, ela pode ficar 25 cm fora de sua posição. Nesse mesmo caso, se ela sofrer algum atraso de um segundo, a semente pode ser lançada a 2,5 m de sua posição original.

Quando ocorrem erros no disco de sementes, podemos ter condições de falhas ou duplas. A ausência de uma semente obviamente é perda de grãos. Essa pequena falha na população de plantas, frequentemente, vai permitir às plantas adjacentes uma produção maior, mas não o suficiente para compensar a ausência da planta original. Isso ocorre devido ao aumento de luz solar, água e nutrientes disponíveis que essas plantas podem receber. No caso de uma falha muito grande, ela permite a entrada de luz solar atingindo a superfície do solo provocando até perdas de água no solo por evaporação e o crescimento e desenvolvimento de plantas daninhas, principalmente aquelas de difícil controle (Capim-amargoso e buva).

As duplas acontecem quando duas sementes são dosadas e depositadas juntas. Isso pode fazer com que tenham seu potencial de produção reduzido em função da grande competição que surgirá por água, luz solar e nutrientes. Isso também representa um baixo controle de um dos mais caros insumos da lavoura: sementes.

Luz solar atravessa o dossel pelo fato de se ter uma população de plantas de milho baixa, deixando energia solar atingir o solo e perda de água através de evaporação.

Luz solar atravessa o dossel pelo fato de se ter uma população de plantas de milho baixa, deixando energia solar atingir o solo, o que leva à perda de água através de evaporação.

Portanto, quando se trata de distribuição de sementes, devemos decompor este termo em 3 fatores e compreender a relação destes entre si (População, Singulação, Espaçamento) para, assim, ao encontrar um erro na lavoura, buscar identificar sua causa raiz e saná-la. Para cada fonte de erro, uma solução diferente.